Pesquisar este blog

Pesquisar este blog

2 de out de 2012


Os melhores lugares para se sobreviver ao apocalipse



Ok, admito não se tratar de um titulo muito sério, mas se ocorrer mesmo algum apocalipse, desastres globais de grandes proporções, você já se perguntou onde seria um bom lugar para se esconder, é se, por sorte, conseguir escapar?


Utah - EUA


No caso de um colapso da infraestrutura consolidada, não seria uma má idéia tentar ir para Utah e fazer amizade com alguns mórmons que estão envolvidos com o armazenamento de alimentos. A Igreja dos Santos dos Últimos Dias encoraja seus membros a manterem o fornecimento de alimentos para pelo menos um ano, e também a manterem uma especie de jardim artificial. 




Esses tipos de jardins funcionam com uma luz artificial, que consegue fazer com que a planta realize a fotossíntese, sem precisar da luz solar. Portanto, se for o caso de precisar morar em lugares subterrâneos caso a superfície estiver inabitável, não será problema para essas pessoas em Utah.



Pyongyang - Coreia do Norte


Não deveria ser nenhuma surpresa, já que se trata de um país que vive em constante paranoia e faz   preparativos em caso de guerra nuclear. Os túneis do metrô de Pyongyang,  podem servir como um bunker em caso de guerra nuclear e manter os moradores seguros. "Moradores" entre aspas, já que eu duvido que todos poderão usurfluir dos tais privilégios.




Mas não é só uma área de abrigo nuclear. De acordo com Hwang Jang-yop, um alto desertor norte-coreano, uma rede separada de túneis do metrô conectam a residência do Presidente para um bunker privado, suficiente para abrigar o presidente, sua família e altos funcionários (e talvez mesmo os da Coréia do Sul). Além disso, Hwang disse que instalações adicionais e túneis sob as ruas foram feitos para se conectar a Pyongyang. A grande questão é saber se o Governo tem mantido água e alimentação suficiente.



Ilhas Pitcairn


As Ilhas Pitcairn, localizadas no Pacífico Sul, não possuem aeroportos ou portos marítimos, são remotas o suficiente para alguém sobreviver a qualquer apocalipse, não alterando o clima. Além disso, Pitcairn vem com o bônus de terras férteis, banana, mamão, fruta-pão, coco, citrus, inhame, feijão e batata-doce são bastante comuns, isso sem contar uma grande variedade de peixes e abundante lagostas. Apenas certifique-se que você se dará bem com seus vizinhos, pois a população de Pitcairn é de apenas cerca de 50 pessoas.




Para algo ainda mais remoto, com os mesmos recursos, é com uma população um pouco maior, pode optar por Tristão da Cunha, que está localizado no Atlântico Sul e tem uma quantidade enorme de 264 habitantes, segundo o  censo de 2010.



Cheyenne Mountain - Colorado, EUA


Cheyenne Mountain foi construída para suportar uma explosão multimegatonica há 1,5 milhas náuticas de distância, possui seis geradores a diesel, contém seu próprio abastecimento de água natural e um sistema de filtragem de ar projetado para filtrar químicos, biológicos, radiológicos agentes nucleares. 




Sua única entrada é um túnel, 540 metros do lado de fora, leva a duas portas de aço de 25 toneladas. Por outro lado, há 18.000 metros quadrados de túneis e câmaras, cercado por 600 metros de granito, um escudo natural contra qualquer ataque.


Continuando com a série, vou indicar a vocês os possíveis lugares onde seriam os primeiros a serem procurados caso aja algum tipo de apocalipse ou desastre global. Como nunca se sabe quando vai acontecer, e bom que já estejam preparados para o pior.   



Londres - Inglaterra


Se você está em Londres quando o desastre (e se Londres não tiver virado mais um montão de cinzas), vá para Whitehall na entrada para Píndaro, existe uma instalação militar do Ministério da Defesa.




Pouco se sabe sobre o bunker, que foi construído na década de 1990 e agora é usado como um centro de comunicações. 



Monte Yamantau - Rússia

Enquanto alguns países pararam de construir abrigos nucleares no final da Guerra Fria, a Rússia ainda estava dando os retoques finais em pelo menos um dos seus. A maioria das super-secretas cidades fechadas da União Soviética abriram após o colapso da República. No final dos anos 90, dezenas de milhares de trabalhadores foram enviados à região de Mezhgorye para trabalharem no Monte Yamantau, mas os estrangeiros não foram autorizados ao trabalho, aumentando os temores de que se trata-se de uma  instalação de um silo de mísseis alojados ou de uma planta de produção de armas nucleares.



No entanto, o Comando Aéreo Estratégico dos EUA disseram aos membros da imprensa que realmente se trata de uma instalação para os líderes políticos mais importantes da Rússia. Em 2000, o congressista Roscoe Bartlett disse que a instalação foi o maior projeto de segurança nuclear no mundo, forte o suficiente para resistir a uma meia dúzia de impacto direto nuclear. Ele também disse que poderia abrigar 60 mil pessoas, com comida e água suficiente na mão para manter a sua população por meses.



Svalbard - Noruega  


Se o apocalipse aniquilar a maior parte da vida vegetal na terra, uma boa opção seria estar perto da Caverna de Sementes Global de Svalbard, no arquipélago ártico de Svalbard. Afinal, o bunker semente foi projetado para proteger a vida das plantas, no caso de uma catástrofe global. Provavelmente as pessoas começariam a cultivar as plantas que a curto prazo se extinguiriam do resto do planeta..




Algumas pessoas podem ficam intimidadas pelo clima do norte em Svalbard, mas as ilhas são consideravelmente as mais quentes do que outras regiões na mesma latitude, graças ao Atlântico Norte. Mas mesmo assim um agasalho seria indispensável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário