Pesquisar este blog

Pesquisar este blog

29 de set de 2012


Funcionário Demitido da NASA Revelará Novos Segredos das Missões Apollo

(Fonte: The National Press Club, Washington DC, EUA)
Dr. Ken Johnston, ex-gerente da Divisão de Controle de Dados e Fotos do Laboratório de Recepção Lunar da NASA, durante os esforços de exploração lunar das Missões Apollo na década de 70, foi abruptamente demitido na última quinta-feira de manhã, dia 23 de Outubro de 2007, do programa da NASA Solar System Ambassador (SAA – Embaixador do Sistema Solar), no Jet Propulsion Laboratoty – JPL.
A demissão foi uma resposta direta a um artigo publicado no New York Times chamado "Dark Mission: The Secret History Of NASA" (Missão Obscura: A História Secreta da NASA), sobre como a NASA o ordenou, 40 anos atrás, a destruir imagens e dados importantes das Missões Apollo ao invés de guardá-los para o estudo acadêmico e para apresentação ao público.
Johnston irá testemunhar em uma conferência da entidade "The Enterprise Mission" patrocinada pelo National Press Club (Clube de Impressa Nacional), na próxima terça-feira, dia 30 de outubro de 2007, como ele desobedeceu estas ordens da NASA e, secretamente, preservou as imagens críticas das Missões Apollo. Johnston irá exibir algumas das fotos "perdidas" que confirmam a existência de "ruínas artificiais antigas e tecnologia na Lua", descobertas pelos astronautas das Apollos, mas legalmente classificadas através da Lei do Espaço de 1958 pela NASA, por 40 anos.
Johnston sera unirá a Richard C. Hoagland (antigo consultor da NASA e conselheiro científico do canal CBS News durante as Missões Apollo), que é co-autor do livro Dark Mission: The Secret History of NASA e está à frente da entidade "The Enterprise Mission". Hoagland irá apresentar uma análise das imagens preservadas por Johnston por 40 anos, comparando-as com versões modernas que estão sendo exibidas nos websites oficiais da NASA. Ele também irá demonstrar e analisará uma das tecnologias secretas obtida pelas equipes da Apollo, relativa ao controle artificial da gravidade.
Enquanto isso, no Japão:
Astrônomos amadores se encontrarão no próximo mês para discutir qual instituição deve ser contatada por pessoas que detectem sinais de alienígenas como parte do projeto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence).
A União Internacional Astronômica (International Astronomical Union) prescreveu que aqueles que detectarem tais sinais devem reportar primeiramente à instituições ligadas ao SETI e autoridades nacionais. No Japão, no entanto, não está decidido se esta autoridade é o Observatório Nacional Astronômico do Japão, a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão, ou o gabinete do Primeiro-ministro. Mais de trinta pesquisadores domésticos do SETI se encontrarão nesta reunião, que será realizada no Observatório Astronômico Nishi-Harima, na região de Hyogo, no dia 4 de novembro. Eles decidiram se reunir, pois, apesar de sinais ainda não terem sido detectados, eles acreditam que o contato é iminente.
SETI é um nome genérico para uma variedade de projetos procurando sinais de vida inteligente. Este projeto está em andamento desde os anos 60, principalmente nos Estados Unidos, e inclui, além de outros métodos, análise de ondas eletromagnéticas do espaço, através de equipamentos como telescópios especiais na Universidade de Harvard. Todos podem participar do projeto on-line, na análise de grandes volumes de informação.
A União Internacional Astronômica possui um procedimento específico antes de qualquer anúncio de "contato" seja feito. Isto ocorre porque a informação não pode ser espalhada até que a confiabilidade da informação seja confirmada. A instituição relevante deve primeiramente investigar o sinal. Se for confirmado que ele vem de alienígenas, deverá ser reportado para o secretário geral das Nações Unidas e outros oficiais através do observatório central da UIA.
O observatório de Nishi-Harima vem buscando por sinais de vida extraterrestre desde setembro de 2005 com o seu telescópio astronômico Nayuta. Sua abertura de dois metros o torna o maior do país.
Abro aqui um parêntese pra falar de um sinal "inteligente" que foi captado em 1977, pelo Dr. Jerry Ehman, usando o rádio-telescópio "Big Ear", da Universidade de Ohio, nos EUA. O sinal foi tão forte que ele escreveu, do lado do gráfico: "Wow!" (uau!), e assim ficou conhecido o sinal até hoje, que é famoso por preencher todas as características de uma comunicação de origem extra-terrestre. Sua origem é incerta (veio da Constelação de Sagitário), e infelizmente o sinal nunca mais foi captado novamente (e não foi por falta de tentativas), o que faz a comunidade científica preferir colocá-lo "de lado" como um fato verdadeiro, mas embaraçoso.
Enquanto isso, na Itália:
Sicília atacada por Aliens?
Tradução: Milton Dino Frank Junior
Uma série de incêndios estranhos em uma aldeia podem ter sido causados através de teste de armas de extraterrestres, pelo menos é o que os funcionários do governo italiano acreditam.
Um relatório sobre estes incêndios ainda misteriosos em aparelhos de TV e telefones celulares creditou o fato a criaturas do espaço exterior. Canneto di Caronia foi o centro das atenções mundial há três anos, depois que os habitantes do local informaram que uma série de objetos estava estourando e ficando em chamas em suas casas diariamente. Filmes de TVs e notícias mostraram na ocasião vários eletrodomésticos, fogões elétricos, pilhas mobílias e outros objetos caseiros em chamas sem que houvesse um motivo lógico para esta ocorrência. Dúzias de peritos, inclusive cientistas, engenheiros eletricistas e pessoal militar, chegou na aldeia em Sicília, a 60 milhas a leste de Palermo, para investigar o fenômeno.
A forma desgovernada que o incêndio estava ocorrendo estava deixando os cientistas pasmos. Um destes cientistas foi entrevistado depois que ele descreveu como ele viu um cabo elétrico desligado estourar em chamas. Os habitantes do local prontamente atribuíam o fato a forças sobrenaturais. Na ocasião, o chefe de exorcismo do Vaticano, Pai Gabriele Amorth, afirmou o seguinte: "Eu vi coisas assim antes. Demônios ocupam uma casa e se materializam em bens elétricos". "Não esqueçamos de Satanás e os seus seguidores que tem imensos poderes".
Agora um relatório interino feito pelo departamento de proteção civil sobre as coisas estranhas que aconteceram naquela época foi publicado em vários jornais italianos. A investigação já leva dois anos e custou por volta de um milhão de euros. Este relatório interino conclui que provável causa era "Teste de armas secretas de extraterrestres". A conclusão que os extraterrestres foram os responsáveis teve apoio no testemunho de numerosos residentes do local que afirmaram ter visto ÓVNIS em cima de suas casas na hora em que o fenômeno ocorria. De acordo com o relatório, os incêndios foram causados pelo alto poder de emissões eletromagnéticas que não eram de origem humana porque estas alcançaram uma potência entre 12 e 15 giga watts.
O relatório também contém detalhes de um suposto OVNI que pousou em Caronia, relacionando ao fato a alguns incêndios espontâneos e ainda "algumas marcas de solo queimado que foram achado no campo que não foram explicadas". Ontem, Francesco Mantegna Venerando, chefe de proteção civil da Sicília, disse: "Este não é o relatório final". "Nós estamos ainda trabalhando em nossas conclusões". "Nós não estamos dizendo que pequenos homens verdes de Marte são os responsáveis pelos os incêndios que aquelas forças antinaturais foram capaz de criar com grande quantidade de energia eletromagnética".
"Esta é apenas uma possibilidade. Nós também estamos investigando sobre a possibilidade destes incêndios espontâneos terem sido causados devido a testes de armas secretas por um desconhecido poder que também fosse capaz de produzir uma quantidade enorme de energia".
Ontem à noite, o prefeito da cidade Giuseppe Collura estava indisponível para dar o seu parecer quanto a esta questão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário